Arquivo de Yeah Yeah Yeahs

#1528 – Projeto X e Shame no meu novo cinema predileto

Posted in Cinema with tags , , , , , , , , , , on 27 de março de 2012 by Ricardo Somera

Na quinta-feira passada fui ver Pina 3D no Kinoplex Itaim. Já tinha ouvido falar muito bem do lugar e gostei bastante do conforto das poltronas e do lugar em si. Tudo muito bonito, mas na minha opinião muito caro (R$ 14 meia entrada). A vantagem é que estava passando uma pré-estréia em dia de semana às 18h. Fui, conheci e curti, mas não sei se voltarei.

O “meu novo cinema predileto” do título é o UCI Jardim Sul e se você mora na região de Santo Amaro/Morumbi também vai virar o seu cinema de cada semana. Há pouco tempo descobri que as segundas-feiras qualquer filme (2D) custa apenas R$ 7 a INTEIRA em qualquer horário. A programação mescla blockbusters (como Jogos Vorazes) com filmes de circuito restrito (Shame e documentários) e tem um combo de segunda que custa R$3,50 (pipoca, refri e Sonho de Valsa) e o melhor: é vazio.
É o cinema mais perto da minha casa e como estou aproveitando do meu tempo para o ócio criativo pego duas sessões seguidas pagando meia (cliente Itaú paga meia). Virou minha casa as segundas.


Hoje comecei com “Projeto X”, do diretor estreante Nima Nourizadeh e produzido por Todd Phillips (diretor de Se Beber Não Case). O filme conta a história de três losers (Thomas, Costa e JB) que querem muito ser populares no colégio e resolvem dar uma festa de aniversário para Thomas que tem como objetivo tirar os três do “anonimato” e pegar as garotas mais gatas do colégio, claro. Os pais de Thomas vão viajar e aí começa a festa com drogas, sexo, álcool e … MUITA CONFUSÃO. rs

É o American Pie da Geração Y e como não poderia deixar de ser com muito rap e dubstep. Eu dei boas risadas, mas com a legendagem que vi no cinema muitas piadas perdem todo o sentido e conseqüentemente a graça. Os “legendadores” tentaram suavizar palavras como pussy e as legendas as vezes pareciam que nem era do filme que eu estava vendo. Lamentável!

A trilha sonora oficial (a que vendem em CD) não me agradou muito, mas no contexto do filme fica simplesmente FODA. Há algumas músicas que estão no filme, mas não na trilha sonora (em CD) como LCD Soundsystem (Daft Punk is Playing at My House), Yeah Yeah Yeahs (Heads Will Roll – A-Trak Remix), Designer Drugs (Riot) e até Bonde do Rolê (Marina Gasolina do Bairro).

Não tem como perder uma festa dessa.

***

Depois de sair de Projeto X emendei uma sessão adulta e fui ver Shame (de Steve McQueen) que conta a história de Brandon (Michael Fassbender) um homem bem sucedido, bonito, solteiro e viciado em sexo. Tudo aparentemente está bem até que sua irmã Sissy (Carey Mulligan) aparece para ficar alguns dias em seu apartamento. Como até o momento Brandon vivia sem os olhares de ninguém e vivia suas aventuras e taras sexuais com quem e onde bem entendesse a presença de sua irmã causa um desconforto que leva a uma tensão sexual e psicológica no filme. Seu vício em pornografia, seus relacionamentos instáveis e os sentimentos que o personagem transmite ao expectador são extremamente provocativos e perturbadores. É um filme adulto, não agrada a todos e coloca o dedo em muitas feridas sentimentais. Eu achei sensacional.

Imperdível.

Um dos momentos mais bonitos do filme: Sissy canta “New York, New York”.

#1737 – Yeah,Yeah, Yeah? No, No, Nope!

Posted in Eletrônica, Evento, Experimental, Indie, New Rave, Pop, Remix, Rock with tags , , , , , , , on 24 de setembro de 2009 by Ricardo Somera

É, não foi dessa vez que o o YYY retornará ao Brasil. A banda “confirmou” que não vai tocar no Planeta Terra em novembro. A especulação quanto a ÚLTIMA vaga gringa era grande: Green Day, Kings Of Leon e … Iggy Pop.

A vaga ficou com o último, mas o KOL disse por aí que estão confirmados para outro festival brazuca. É aguardar!

A penúltima vaga ficou com o DJ Anthony Rother, que é considerado um dos grandes nomes do techno e do minimal. Dá uma olhada no vídeo do live dele na Love Parade (Alemanha).

Muita diversão com Ting Tings, Maximo Park, Copacabana Club, entre outros…
Um novo conceito de parque de diversões para o Playcenter!!!

#1846 – Hoje começa uma festinha no deserto…

Posted in Evento, Indie, New Rave, Pop, Rock with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 17 de abril de 2009 by Ricardo Somera

Hoje começa um dos grandes festivais americanos de rock / eletro / pop, o Coachella. Quem tem sorte tá lá!

E aqui no Brasil  a gente torce pra ter um line desses algum dia…

#1913 – Tá na hora do Festival “Vivo ao Vivo”

Posted in Groove, Indie, New Rave, Pop, Rap, Remix, Rock, Rock Punk Cigano with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 5 de março de 2009 by Ricardo Somera

Ontem a TIM anunciou o fim do Prêmio Tim de Música e o TIM Festival.

Sinceramente acho esses prêmios pra músicos, atores e artistas em geral um saco. Todo mundo sabe que é uma rasgação de seda concentrada em um dia e o abandono por parte do patrocinador durante o ano. Acho que o Prêmio TIM de Música deveria ser feito uma seleção de bons artistas do ano e a TIM patrocinaria a tour por todo o Brasil. 

Seria legal ver o Yamandu Costa /Maria Bethânia / Nelson Freire em uma turnê passando por todos os estados onde a companhia opera. Não adianta dar um troféu de plástico para o artista, ele quer mostrar sua arte e o público quer ter oportunidade de ver o ídolo.

****

Já o TIM Festival é algo que eu não vou sentir muita falta, mas era um festival aguardado o ano todo.

Eu só fui em um TIM realmente descente e foi em Curitiba (2006). Cheguei um pouquinho atrasado e não peguei o show do Nação Zumbi. Após pagar R$ 20 com um cambista em frente a Pedreira (o valor da meia era R$ 30 se não me engano) entrei no meio do show da Patti Smith

O legal de verdade desse festival foi que eu tinha acabado de me mudar pra SP e encontrei todos meus amigos e conhecidos no festival. Depois de muito alcool entrou no palco Karen O (Yeah Yeah Yeahs) – mais conhecida como “a largatixa de lantejouas” – gritando, pulando e cantando os hits na época “Y Control” e “Pin”. Pra fechar a noite eu já estava pirando master com tudo aquilo e ainda com o cenário maravilhoso que é a Pedreira Paulo Leminski entra no palco os rapper brancos do Beastie Boys fazendo todo mundo pular e pirar com Intergalactic, Body Movin´e Sabotage. 

**

Em 2007 a seleção estava incrível. Comprei nos primeiros dias o ingresso pra ver Arctic Monkeys, The Killers, Bjork, Juliette and The Licks, Spank Rock e Hot Chip. Com um elenco desses a expectativa foi as alturas. Fui sozinho, era domingo, calor e já na fila encontrei a Gi Bedendo e uma galerinha de Londrina. Passei muita raiva e emoção nesse dia.

Posts que escrevi na época: O começo e o Spank Rock , Hot and WeirdLábios SecosGet on your dancing shoes, enjoy and relax, Os MatadoresCapitalizando o TIM Festival.

*****

Em 2008 não são necessários comentários como “R$ 250 pra o show do Kanye West” + “Gossip e Paul Weller cancelados” + “Marcelo Camelo por R$ 150″ + tenda vazia!

Mas fui no melhor show do ano passado: Gogol Bordello.

************

Erros catástróficos em 2007, preços exorbitantes em 2008, cancelamento dos show em Curitiba, Planeta Terra com duas super edições… Pra mim estava anunciado o fim do TIM  há algum tempo.

****

Ah, eu não fui no “SUPER TIM FESTIVAL” com Strokes, Arcade Fire, M.I.A., Kings of Leon, Dizzee Rascal, De La Soul, Wilco, Kings of Convenience, etc.

*****************

Pra justificar o título do post: Bem que a Vivo poderia assumir essa vaga e trazer -> Hercules and Love Affair, Beirut, Franz Ferdinand, CSS, Glasvegas e Last Shadow Puppets!

É…eu aceitaria e JURO que mudaria de operadora (hehehe…)

#1958 – Little Joy EXTRA EXTRA e mais um Strokes em carreira solo

Posted in Folk, Indie, Rock with tags , , , , , , , , , , , on 22 de janeiro de 2009 by Ricardo Somera

Ontem começou e acabou a venda dos ingresso para o show EXTRA do Little Joy em São Paulo (Clash). ESGOTADOS!!! O terceiro show (EXTRA EXTRA) vai rolar no dia 5 de fevereiro, um dia antes do show no Rio. Cancelado a apresentação em Araraquara (SP).

Os ingressos continuam R$ 60 e começam a ser vendidos dia 28 (quarta-feira). Tão podendo…

*****

Com a pausa do Strokes, além do baterista Fabrizio Moretti (Little Joy), o baixista Nikolai Fraiture (Nickel Eye na carreira solo) irá lançar seu projeto paralelo dia 27 (terça-feira), nos EUA.  

Flickr da Klaudia Fraiture

As influências são de músicos como Neil Young, Leonard Cohen e Frank Black (Pixies). O disco de estreia “The Time of the Assassins” tem participação de Nick Zinner (Yeah Yeah Yeahs), e da cantora e pianista Regina Spektor.