Arquivo para Foo Fighters

#1516 – LollaBr 1º dia: A família vai pro rock

Posted in Clássico, Cover, Evento, Indie, Pop, Rock with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 9 de abril de 2012 by Ricardo Somera

O primeiro dia do Lollapalooza Brasil começou com muitas filas. As filas para entrar no festival estavam gigantes e menores, mas mais demoradas estavam as filas para comprar fichas, cerveja e comida. Mas os problemas acabaram por aí. Cheguei no começo do show da banda Cage The Elephant, mas como o sol estava muito forte e eles começaram o show com a única música que eu conhecia (Shake me Down) resolvi ir pra tenda do Perry ver Rhythm Monks. Foi a primeira boa surpresa do dia. Vestidos com quimonos e máscaras eletrônicas (uma espécie deDaft Punk oriental) o trio conseguiu agitar os poucos presentes – maioria fugindo do sol. Os taikos (tambores japoneses) foram substituidos por baterias eletrônicas. Uma ótima apresentação de “boas vindas”.

Foto da página oficial do evento no Facebook

O clima do festival tava família. Muitas crianças e até mesmo bebês estavam com suas roupinhas de caveira. O KidzaPalooza foi uma ótima desculpa para levar toda a família pra uma tarde/noite rock´n roll.

Foto do blog Popload http://virou.gr/IbBGFh

O Rappa, a primeira atração de peso do dia entrou pontualmente às 16h no palco principal e fez um dos melhores shows do evento. Embalou a multidão, com hits como “Me Deixa”, “A Minha Alma”, cover de “Killing in the Name” (Rage Against the Machine) e Súplica Cearense (Luiz Gonzaga), essa última foi regravada pela banda no álbum 7 Vezes.

O Rappa representou muito bem o Brasil no meio da seleção gringa. A banda foi convidada e vai tocar no Lolla Chicago em agosto.

O resto do dia foi a espera para o show do Foo Fighters. Colei no Band of Horses pra encontrar a galera e achei a banda meio “trilha sonora do True Blood”. Como tinha visto o show do TV on the Radio um dia antes, passei. Voltei pra tenda pra ver o Bassnectar. Mano, que barulheiraaaaa boa!  Esse tal de dubstep é muito chapação de crack, distúrbios mentais, sem nenhum tiquinho de caribó.

Foto da página oficial do evento no Facebook

FOO FIGHTERS

O grande show da noite com a melhor banda de rock da atualidade durou mais de duas horas mesclando hits, músicas do novo álbum e euforia da galera que lotou o Jockey. Dave realmente é um talento com todas as “suas” bandas (Nirvana, Queens of the Stone Age, Them Crooked Vultures), mas com o Foo Fighters ele se supera. O show começou “apenas” com “All My Life”. Embalou as próximas horas com, “Learn To Fly”, “My Hero”,“Rope”, “White Limo”, “In The Flesh” (cover do Pink Floyd), “Bad Reputation” e “I Love Rock N’ Roll” (canções de Joan Jett, que participou do show). Como já era esperado o show terminou com “Everlong” e Lollapalooza Brasil já se consagra antecipadamente como o melhor festival do ano. LollaRocks!

#1545 – FestiVai: Lollapalooza Brasil 2012

Posted in Eletrônica, Evento, Indie, New Rave, Pop, Punk, Rap, Reggae, Rock, Rock Punk Cigano with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 17 de março de 2012 by Ricardo Somera

Tá fácil para a primeira edição do Lollapalooza Brasil levar o prêmio já em abril de “melhor festival brasileiro do ano“. Mesmo com probleminhas iniciais o festival tem tudo para ser o grande sucesso do ano.

50% da qualidade de um festival está no seu line-up, as vezes só trazendo uma banda – como foi o Planeta Terra ano passado com Strokes – já é garantia de sucesso, mas os caras apostaram forte e estão trazendo a principal banda dos EUA (mundo?), o Foo Fighters, e a principal banda inglesa (pra mim!), o Arctic Monkeys, para “encabeçar” o festival.

Mas existe os outros 50% que normalmente é onde muitos festivais pecam: organização. Pelo que estou acompanhando tudo está indo muito bem: orientação para todos irem de trem e metrô, line-up definido na apresentação do festival, venda de ingressos pós “pré-venda” tranquila, etc. Agora só falta ACONTECER o festival para termos a certeza de que tudo ocorrerá bem.

Se chover, tiver arrastões (como no Rock in Rio e SWU) e alguma banda faltar, é claro que vai rolar um mimimi nas redes sociais, mas quase sempre isso foge ao controle dos organizadores. Acho que esses problemas não ocorrerão.

O fim do show (23h) também está perfeito para o horário do transporte público que fecha à 1h no sábado e meia noite no domingo. Sério, não tem o que dar errado.

Abaixo vão as minhas dicas de programação para os dois dias de FESTA:

Sábado (INGRESSOS ESGOTADOS)


Chegar umas 14h30 pra reconhecer a área e ir sem pressa ver o Cage The Elephant (15h no Palco Butantã). Depois é hora de atravessar o Jockey pra ver O Rappa (16h no Palco Cidade Jardim) e encontrar a galera (pq provavelmente é essa hora que a todo mundo vai chegar). Ir ao show do Band of Horses (17h no Butantã) ver “qualé”. Até aí sem pressa, curtindo o sol, o dia lindo (#todosREZAM). No fim da tarde tem TV on The Radio (18h no Cidade Jardim), mas não sei se faço muita questão  (quero ver os caras no Jóia – festa da Área 51). Depois é hora de descansar, comer alguma coisa, tirar o tênis, se espreguiçar, fazer uma massagem (se vc estiver na área VIP) e aguardar o grande show da noite (DO ANO): Foo Fighters (20h30 no Palco Cidade Jardim).

No final: Se lamentar por ter perdido o Calvin Harris (21h30 na Tenda do Perry)

*************

Domingo (R$ 300 / R$150)


Pra mim o domingo é o melhor dia do festival. Se tivesse o Vampire Weekend seria o dia da “micareta indie” sem dúvidas, pois o dia começa cedo com o show animado e obrigatório – pra quem não for ao Beco na sexta – do Gogol Bordello (14h no Palco Butantã). Depois tem um momento “chill” com Thievery Corporation (15h no Cidade Jardim). Atravessa o Jockey pra ver o Friendly Fires (16h no Butantã) que vai fazer a galera mais uma vez “tirar o pé do chão”. Depois recomendo tirar o tempo pra comer, descansar e reencontrar a galera. Às 18h no Butantã tem o psicodélico e “talvez não tão legal ao vivo” MGMT apresentando seu último trabalho, Congratulations.

19h MOMENTO TENSO: Duas das principais “revelações” do ano passado vão tocar no mesmo horário: Foster The People e Skrillex. Indie ou Dubstep? A minha sugestão é: Foster The People, mas se você tiver uma graninha sobrando vá ver a banda na quinta feira no Cine Jóia e quando estiver no Lolla pode ir tranquilo para a Tenda do Perry ver o ex-emo Skrillex.

Hora de juntar todo mundo e correr pro show do Arctic Monkeys (21h30 no Palco Cidade Jardim).

Se lamentar por ter perdido o Foster The People ou Skrillex (“confronto” das 19h) e o show dos Racionais (20h45 na Tenda do Perry).

Preparados?

#1559 – A melhor banda do MUNDO (hoje!): Foo Fighters

Posted in Rock with tags , on 14 de março de 2012 by Ricardo Somera

Walking After You

Everlong

All My Life

Best of You

Times Like These

#1567 – Festas com Foo Fighter e QOTSA OPEN Bar

Posted in Rock with tags , , , , on 10 de março de 2012 by Ricardo Somera

A balada gaúcha Beco 203 (até agora não entendi o motivo do 203) abriu sua filial em São Paulo por dois motivos: viabilizar bandas para tocar em Porto Alegre e provar que o ROCK NÃO MORREU!
Só apareci uma vez por lá (Bloco Cru), mas não faltam boas festas pra ir. Olha esses cartazes abaixo e fala que não deu vontade de ter uma quinta de folga no trampo só pra pegar um open bar responsa em plena quarta-feira?

Pra vc que é trabalhador e não sai “de balada” durante a semana tem sonzera pré-Lollapalooza no sábado. Quem acompanha?

#1571 – LollaParties

Posted in Eletrônica, Indie, Rock Punk Cigano with tags , , , , , , on 2 de março de 2012 by Ricardo Somera

Com ingressos esgotados para o 1º dia (Foo Fighters, TV On The Radio, Calvin Harris…) o Lollapalooza Brasil anuncia suas LollaParties com Foster The People, Friendly Fires e Gogol Bordello. Foster e Friendly tocam no Cine Jóia (5 e 7 de abril respectivamente) e o Gogol Bordello toca no Beco dia 6. Preparem seus bolsos ou comprem logo os ingressos para o 2º dia do Lolla.

No dia 6 tem show do TV on the Radio no Jóia, mas a festa é fechada (quer ingresso? tenta aqui)

#1679 – O Foster Mais Sabonete da Cidade

Posted in Indie with tags , , , , , , , , , on 25 de novembro de 2011 by Ricardo Somera

Além dos headliners (Arctic Monkeys e Foo Fighters) o Lollapalooza vai trazer muita gente legal (espero que o line não esteja totalmente “pronto”). Skrillex, Thievery Corporation, TV on the Radio, Band of Horses, Friendly Fires, Gogol Bordello…e Foster The People.
Acho a banda do tipo “indie animada” que lembra bastante o Friendly Fires, mas não chega a animação meio “micareta” do Vampire Weekend. A música “Pumped Up Kicks” grudou na cabeça e o que não falta são covers do hit. Mas até hoje não tinha visto nenhuma versão brasileira, até hoje. Com vocês a Banda Mais Bonita da Cidade + Sabonetes tocando Foster The People.

Se vai rolar um segundo álbum, se os caras vão durar mais que um verão, se, se, se…aí eu não sei (e também nem quero saber…rs), mas o que os caras fizeram acho que vai tocar hoje na Neu. rs

#1681 – Lobão tem razão?

Posted in Evento, Indústria, Indie, Rock with tags , , , , , , , , , on 21 de novembro de 2011 by Ricardo Somera

Hoje foi anunciado o line-up do Lollapalooza Brasil com headliners como Arctic Monkeys e Foo Fighters e indies sensação como Foster The People e Band of Horses. Entre as bandas brasileiras nada demais, além dO Rappa e Pavilhão 9 (lembra??? promete ser foda). No total foram menos de 40 bandas pra os 5 palcos prometidos, acho que ainda falta bandas para ser anunciadas até abril.

Mas o que está dando o que falar (além do R$ 500 pelos dois dias de shows) é o vídeo que o Lobão publicou no YouTube criticando os festivais internacionais que acontecem no Brasil. Lobão diz que foi convidado e recusou o convite pq contratualmente os brasileiros independente do tempo de carreira tocaria das 10h as 15h.

Havia comentado no post sobre os melhores shows do Planeta Terra 2011 que Jorge Du Peixe (Nação Zumbi) fez essa reclamação durante sua apresentação no festival. Achei mancada já que a banda topou tocar naquele horário.

Gosto de ver shows de dia (até prefiro), mas que a divisão seja democrática para não segregar as bandas brasileiras que merecem todo o respeito e direitos iguais. Lobão tem razão no que diz, mas não vou deixar de comprar e perder o show do Arctic Monkeys pq vão colocar o Garage Fuzz pra tocar as 12h, né? rs

Concordo que os produtores dos festivais deveriam pensar melhor sobre o horário das grandes bandas brasileiras para que não bata o horário dos headliners.