Arquivo para Caetano Veloso

#1530 – Pina

Posted in Dança, Experimental with tags , , , on 26 de março de 2012 by Ricardo Somera

É um enorme prazer descobrir uma artista como Pina Bausch no cinema. Não sou uma pessoa que freqüenta teatros para ver dança, ópera ou orquestras sinfônicas, não sei se é por preconceito, mas essas não são minhas preferências quando penso em diversão. Já o cinema é um lugar onde me sinto mais confortável para ver de clássicos a documentários. E talvez seja esse o motivo que fui ver Pina 3D no cinema.

Há uns meses uma amiga me falou que tinha visto o filme no Barbican, em Londres, e que eu iria gostar. Vi o trailer e fiquei encantado, mas não imaginava que ficaria tão impressionado com a beleza e delicadeza que é o filme. Wim Wenders, diretor do documentário Buena Vista Social Club, não fez apenas um simples documentário sobre a vida da coreógrafa, ele mostrou o que realmente é importante: a obra de Pina.

O longa foi indicado ao Oscar na categoria documentário, mas infelizmente não ganhou, acho que por não ser uma biografia ou tentar apenas contar uma história. Pina 3D é um filme-documentário-homenagem e talvez não se encaixe nos padrões tradicionais da categoria. O filme está sendo considerado o primeiro filme 3D de arte e é daquelas obras que é necessário ver no cinema e que na TV não terá o mesmo efeito.

O que mais me chamou a atenção foi a fotografia. Coisa fina. As locações ajudaram bastante e tem um grande fio narrativo tanto na obra de Pina como no filme.

Há três elementos brasileiros no filme que me chamaram a atenção: Leãozinho, de Caetano Veloso, é trilha de uma das coreografias do filme, o grafitti d’osgemeos também está presente num dos cenários e um depoimento de uma dançarina brasileira que faz parte do Tanztheater Wuppertal Pina Bousch. Todos precisam ver.

#1543 – Virada Cultural anuncia as primeiras atrações: Emicida, Dexter e Flora Matos

Posted in Evento, Rap with tags , , , , , , , , , on 20 de março de 2012 by Ricardo Somera

A Virada Cultural 2012 de São Paulo que acontece dias 5 e 6 de maio já tem suas primeiras atrações confirmadas. Pela página do evento no Facebook foram anunciadas as três primeiras atrações do palco hip-hop com grandes expoentes do rap nacional: Emicida, Dexter e Flora Matos.

Outros artistas que ainda não foram confirmados, mas foram convidados são: Chico Buarque, Gilberto Gil, Criolo e Caetano Veloso. Outros três nomes confirmados pelo site Catraca Livre são: Cauby Peixoto, Ângela Maria e Arnaldo Baptista.

#1563 – “Tropicália”, de Marcelo Machado, abre “É Tudo Verdade 2012” em São Paulo

Posted in Música Brasileira, Tropicália with tags , , , , , , , , on 13 de março de 2012 by Ricardo Somera

O principal festival de documentários da América Latina, “É Tudo Verdade”, que começa dia 22 de março e vai até 1º de abril terá o filme “Tropicália”, de Marcelo Machado, abrindo o evento em São Paulo. “Tropicália” pretende trazer uma visão contemporânea sobre esse importante movimento cultural que explodiu no Brasil ao final dos anos 1960, intercalando valiosos materiais de arquivo, especialmente recuperados para a produção, com encontros entre ícones do movimento, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Mutantes e Tom Zé.

O festival também acontece no Rio (22/03 a 01/04 – com abertura de “Jorge Mautner – O Filho do Holocausto“, de Pedro Bial e Heitor D’Alincourt), Brasília ( 10 a 15/04) e em Belo Horizonte (maio) e tem a retrospectiva “Coutinho: O Caminho até “Cabra”” do cineasta Eduardo Coutinho, além de Saving Face (trailer abaixo), vencedor do Oscar de Melhor Documentário em Curta-Metragem deste ano, e Ao Abismo, filme de Werner Herzog (O Homem Urso).

 

Dois premiados no Festival de Sundance estão na lista: Cinco Câmeras Quebradas (melhor direção em documentário) e O Beijo de Putin (melhor fotografia).

Todas as sessões são gratuitas. Para saber a programação completa e os locais de exibição entre no site oficial do É Tudo Verdade 2012.

#1589 – O Sonho Acabou

Posted in Música Brasileira, Samba Rock, Soul with tags , , , , , , , , , , , , on 25 de fevereiro de 2012 by Ricardo Somera

Reunião de GÊNIOS

#1596 – Noel Rosa era racista?

Posted in Samba with tags , on 23 de fevereiro de 2012 by Ricardo Somera

Pense a respeito…

#1681 – Lobão tem razão?

Posted in Evento, Indústria, Indie, Rock with tags , , , , , , , , , on 21 de novembro de 2011 by Ricardo Somera

Hoje foi anunciado o line-up do Lollapalooza Brasil com headliners como Arctic Monkeys e Foo Fighters e indies sensação como Foster The People e Band of Horses. Entre as bandas brasileiras nada demais, além dO Rappa e Pavilhão 9 (lembra??? promete ser foda). No total foram menos de 40 bandas pra os 5 palcos prometidos, acho que ainda falta bandas para ser anunciadas até abril.

Mas o que está dando o que falar (além do R$ 500 pelos dois dias de shows) é o vídeo que o Lobão publicou no YouTube criticando os festivais internacionais que acontecem no Brasil. Lobão diz que foi convidado e recusou o convite pq contratualmente os brasileiros independente do tempo de carreira tocaria das 10h as 15h.

Havia comentado no post sobre os melhores shows do Planeta Terra 2011 que Jorge Du Peixe (Nação Zumbi) fez essa reclamação durante sua apresentação no festival. Achei mancada já que a banda topou tocar naquele horário.

Gosto de ver shows de dia (até prefiro), mas que a divisão seja democrática para não segregar as bandas brasileiras que merecem todo o respeito e direitos iguais. Lobão tem razão no que diz, mas não vou deixar de comprar e perder o show do Arctic Monkeys pq vão colocar o Garage Fuzz pra tocar as 12h, né? rs

Concordo que os produtores dos festivais deveriam pensar melhor sobre o horário das grandes bandas brasileiras para que não bata o horário dos headliners.

#1698 – Sai Rick Bonadio. Entra Daniel Ganjaman #VMB11

Posted in Música Brasileira, Rap, TV with tags , , , , , , , , , on 21 de outubro de 2011 by Ricardo Somera

Há anos não vejo o VMB. A última vez foi quando Marcos Mion apresentou e chegou fantasiado de “padre do balão”. Ontem não perdi meu tempo e fui ver “Amizade Colorida” no cinema com uma amiga e depois tomar uma breja. Mas vendo o resultado percebi que a periferia invadiu a MTV.
Tradicionalmente a MTV tem os prêmios dados para as mesmas bandas: Pitty, NX Zero, CPM22, Charlie Brown Jr e Restart. Esse ano a coisa mudou…e pra melhor.

O grande vencedor da noite foi o rapper Criolo (Revelação) com a obra prima “Nó na Orelha” (Melhor Disco) e a música que é considerada a nova “Sampa”, do Caetano Veloso, “Não Existe Amor em SP” (Melhor Música).

O rapper Emicida foi premiado como “Artista do Ano” e pelo clipe “Então Toma”.

Emicida mesmo sendo garoto propaganda de banco, marca de celular e com programa na MTV (sim, ele é da casa!) não me convence muito (gosto apenas da música Triunfo) e o considero musicalmente inferior ao Criolo – talvez por causa da excelente produção do Daniel Ganjaman no “Nó na Orelha”.

Esse ano a MTV inovou nas categorias e “inaugurou” a de melhor capa e quem levou vou a Tiê com “A Coruja e o Coração”. Curtiu?

Pra fechar teve prêmio para grandes clássicos também. Sim, estou falando do Vitinho “Sou Foda”.

Dig dim dig dim dig dim